IMAGENS E SAÚDE

Vitrine

Vitrine                                                                   Produtos - Oferta - Encarte - Promoção

Selecione a Categoria

Vitrine
Vitrine
Vitrine
Vitrine
Vitrine

Resultado

A importância do Teste de Colinesterase

Um dos exames de pré-requisito nos pedidos de admissão e sem dúvida muito relevante para identificar sintomas iniciais como náusea, palidez, fraqueza muscular mínima e cólica abdominal. Valioso indicador da relação entre exposição a agrotóxico e problemas de saúde são os níveis da enzima colinesterase no sangue. A inibição da colinesterase por meio dos compostos fosforados ou carbamatos provoca o acúmulo de acetilcolina, e o organismo passa a apresentar uma série de manifestações. Colinesterase é uma enzima cujo papel fundamental é a regulação dos impulsos nervosos através da degradação na junção neuromuscular e na sinapse nervosa. Existem duas categorias dela: a acetilcolinesterase (a verdadeira), que é encontrada nos eritrócitos (sangue), no pulmão e no tecido nervoso; e a colinesterase sérica, sintetizada no fígado, também chamada de pseudocolinesterase. Sua determinação é útil na avaliação e no acompanhamento de pacientes com intoxicação por organofosforados (inseticidas) que inibem a colinesterase eritrocitária e diminuem os níveis da colinesterase sérica. Valores diminuídos também são encontrados em estados de desnutrição, infecções agudas, anemias, infarto do miocárdio e dermatomiosite (inflamação da pele e dos músculos). Alguns medicamentos compostos por estrogênios, testosterona, assim como contraceptivos orais também podem interferir nos níveis da colinesterase sérica, portanto é sempre imprescindível perguntar ao paciente sobre os medicamentos utilizados, para uma melhor compreensão dos resultados do exame. A colinesterase pode estar aumentada em pacientes obesos, em diabéticos e na síndrome nefrótica (doença relacionada ao rim). O Programa de controle médico de saúde ocupacional, da Portaria n° 3.214, de 08/06/1978 do Ministério do Trabalho, prevê que a periodicidade para a realização da análise da colinesterase eritrocitária, colinesterase plasmática ou das duas juntas (sangue total) seja, no mínimo, semestral O exame médico periódico dos trabalhadores expostos a substâncias tóxicas é indispensável para comprovar a presença de efeitos adversos, consequência de medidas de controle insuficientes, práticas de trabalho inapropriadas ou exposição a níveis máximos toleráveis das pessoas expostas O agricultor deverá procurar imediatamente atendimento médico, na presença de quaisquer sintomas que possam indicar um quadro de intoxicação.

 

Fonte:http://www.michelimichelon.com.br/blog/variedades/biolab5924/5924/

Data: 17/05/2013 | Autor: Márcio RAZ | Categoria: vitrine | Visitas: 1106

S.I.S.